BREXIT Montar uma Fábrica de Bebida Láctea em Portugal

Projeto Pronto de Fábrica de Bebida Láctea com Capacidade de Produção de 3000 litros por dia

CÓDIGO DO PROJETO: BRE-013

Projeto com as seguintes seções:

Tipo de Inspeção – Federal (SIF)
Plataforma de recepção de leite
Laboratório físico-químico
Laboratório microbiológico
Sala de fabricação
Câmara de produtos embalados
Setor de embalagem
Expedição
Depósito de embalagens
Depósito de ingredientes
Caldeira
Área de frio
Escritório
Sala Inspeção Federal
Banheiros
Vestiários
Refeitório

Contém no projeto pronto:

  • Projeto Pronto em arquivo para AutoCad (DWG) (pranchas em formato A0 ou A1), com:
    – Planta e Layout
    – Planta Baixa da Construção
    – Layout dos Equipamentos
    – Cortes
    – Fachada
    – Planta de Situação das Construções no terreno
    – Planta dos Escritórios, Vestiários, Refeitórios e outros Anexos do Empreendimento
  • Memorial Básico da Construção
  • Lista de Equipamentos Principais
  • Lista de Fornecedores dos Equipamentos Principais
  • Lista de Materiais da Construção e Orçamento da Obra
  • Cronograma Físico-Financeiro da Obra
  • Fluxograma de Produção

Serviços Opcionais:

  • Estudo de Viabilidade Financeira
  • Projeto de Financiamento e Plano de Negócios FINOVA
  • Projeto em 3D
  • Adequação de Fábricas e Reformas

Para saber mais, ligue para +55.35.37211488 ou +55.35.9.9155.0757, ou preencha o formulário abaixo:

 


ESTRUTURA DA FÁBRICA

A bebida láctea é um produto derivado do leite, apropriado para beber, que pode conter em sua
formulação os seguintes ingredientes: soro da fabricação de queijos, leitelho, suco de fruta,
polpa de fruta, aroma, corante, iogurte, estabilizante e açúcar. Pode ser fermentada pela ação
das bactérias láticas.
7.1 Critérios gerais para a elaboração:
• Utilização de soro fresco, resultante da elaboração de queijos coalhados por coalho, com
acidez máxima de 13ºD, livre de substâncias inibidoras (no caso da bebida fermentada) e
não contendo água de lavagem de massa;
• O soro deverá ser filtrado ou clarificado em desnatadeiras ou padronizadoras para
eliminação de partículas de massa;
• Antes da mistura de qualquer ingrediente ou leite, o soro deverá ser submetido a um
tratamento térmico em torno de 70ºC;
• Verificar o tipo de estabilizante e especificações ao formular uma bebida. Fazer testes. A
carragena é um tipo de estabilizante com boa ação na elaboração de bebida láctea e
achocolatados;
• O leite utilizado na elaboração da bebida láctea deve seguir as mesmas recomendações
para o leite destinado à fabricação de iogurte, verificar suas características organolépticas,
físicas, químicas e microbiológicas;
• Igualmente para o fermento lático seguir as mesmas recomendações;
• Quando da elaboração da bebida achocolatada, utilizar cacau de boa qualidade, solúvel e
alcalinizado.

 


A sua Empresa na hora – Documentos necessários para abrir uma empresa em Portugal

Através da iniciativa ‘Empresa na Hora’ poderá constituir uma sociedade unipessoal, por quotas ou anónima no momento e num só posto de atendimento. O processo de constituição de sociedades através desta iniciativa é extremamente simples e pode ser representado da seguinte forma:

Processo de constituição de uma sociedade:
1. Escolher uma firma da lista de firmas pré-aprovadas constante deste sítio ou consultando a lista que lhe será facultada no posto de atendimento ‘Empresa na hora’. A firma escolhida só será reservada no momento em que se dirigir ao balcão e iniciar a constituição da sociedade. Como tal, a firma que pretende utilizar, apesar de estar disponível neste sítio ou na lista que lhe for facultada, poderá já não estar disponível no momento em que se dirigir ao balcão. À firma pré-aprovada poderá sempre adicionar uma expressão alusiva ao objeto da sociedade. Por exemplo, se a firma escolhida for ‘ABCDE’ e se a sociedade se dedicar à atividade de restauração e bebidas, a firma poderá ser alterada para ‘ABCDE – Restauração e Bebidas’.
Em alternativa à escolha da firma da lista de firmas pré-aprovadas pode constituir a sua empresa na hora com um nome previamente aprovado pelo RNPC.

2. Escolher um dos modelos de pactos pré-aprovados e disponíveis neste sítio e na pasta de pactos facultada nos locais de atendimento;

3. Os futuros sócios da sociedade deverão dirigir-se a um balcão ‘Empresa na hora’ para iniciar o processo de constituição. A lista de balcões disponíveis pode ser consultada na área de Contactos deste sítio.

Elementos necessários
Se os sócios da sociedade a constituir forem pessoas singulares, deverão levar consigo:

Cartão de contribuinte;
Documento de identificação (cartão de cidadão, bilhete de identidade, passaporte ou autorização de residência).
Cartão de beneficiário da Segurança Social (facultativo)
No caso de se tratarem de pessoas coletivas:

Cartão da empresa ou de pessoa coletiva ou código de acesso aos referidos cartões;
Ata da Assembleia Geral que confere poderes para a constituição de sociedade.
4. O custo deste serviço é de 360,00¤. Este valor será pago no momento da constituição, em numerário, multibanco ou cheque visado ou bancário e vale postal, em qualquer dos casos emitidos à ordem do Instituto dos Registos e do Notariado, I.P.. Não são aceites cheques estrangeiros.

5. No balcão será elaborado o pacto da sociedade e será efetuado o registo comercial.

6. De imediato, receberá:

o Pacto Social;
o código de acesso à Certidão Permanente de Registo Comercial, pelo prazo de três meses;
o código de acesso ao cartão eletrónico da empresa;
o número de segurança social da empresa.

Posteriormente, receberá o cartão da empresa, em suporte físico.7. No momento da constituição da sociedade pode indicar desde logo o Técnico Oficial de Contas ou escolher um da Bolsa de TOCs disponibilizada, para efeitos da entrega desmaterializada da Declaração de Início de Atividade.
Também pode entregar num serviço de Finanças a Declaração de Início de Atividade devidamente preenchida e assinada pelo Técnico Oficial de Contas nos 15 dias seguintes à data de constituição.

8. No prazo máximo de 5 dias úteis após a constituição, os sócios estão obrigados a depositar o valor do capital social (quando realizado em numerário) numa conta aberta em nome da sociedade ou proceder à sua entrega nos cofres da sociedade até ao final do primeiro exercício económico.