Projeto Pronto Fábrica de Caipirinha com capacidade de 5.000 litros por dia.

CÓDIGO - AGR-013

Projeto Pronto com as seções:

Tipo de Inspeção - Federal (Ministério da Agricultura)
Recepção
Câmara fria para frutas
Setor de mistura
Depósito de ingredientes
Depósito de embalagens
Envase
Depósito
Expedição
Escritório
Vestiários
Refeitório

O Projeto Pronto contém:

1) Projeto Pronto em arquivo para AutoCad (DWG) (pranchas em formato A0 ou A1), com:
  • Planta Baixa e Layout dos Equipamentos
  • Planta Baixa da Construção
  • Layout dos Equipamentos
  • Cortes
  • Fachada
  • Planta de Situação das Construções no terreno
  • Planta dos Escritórios, Vestiários, Refeitórios e outros Anexos do Empreendimento
2) Memorial Básico da Construção
3) Lista de Equipamentos Principais
4) Lista de Fornecedores dos Equipamentos Principais
5) Lista de Materiais da Construção e Orçamento da Obra
6) Cronograma Físico-Financeiro da Obra
7) Fluxograma de Produção
8) Projeto em 3D

Serviços Opcionais:

  • Estudo de Viabilidade Financeira para Fábrica de Caipirinha
  • Projeto de Financiamento e Plano de Negócios para Fábrica de Caipirinha no BNDES / FCO / BDMG / FINAME
  • Projeto em REVIT

Projetos com Outras Capacidades (maiores ou menores)
Fábrica de Caipirinha

Preço do PROJETO PRONTO

Versão em arquivo (email) R$ 705,00

Versão impressa (SEDEX) R$ 905,00

 

Para saber mais sobre o Projeto Pronto de Empreendimento (eBook) preencha o formulário abaixo:

Ou ligue para 35.3721.1488 ou entre em contato por WhatsApp +55.31.99609.1982











Versão:



 


 

OUTROS PROJETOS PRONTOS:

Como montar Fábrica para Fracionamento de Cravo da Índia com capacidade para 1.000 kg/dia.
DWG Indústria de Facção de Camisetas com capacidade para 50 peças/dia.
PDF Fábrica de Camas de Metal com capacidade para 20 camas/dia.
Planta Baixa de Fábrica de Molho Barbecue com capacidade para 300 litros/dia.
Projeto de Fábrica de Massa de Pão de Queijo Congelado com capacidade de 5.000 quilos por dia.
Projeto de Fábrica de Exaustores com capacidade para 1.000 peças/dia.
Viabilidade de Mini Indústria de Fitoterápicos com Capacidade de Produção de 500 kg por dia
Plano de Negócio de Agência de Automóveis com capacidade para venda de 1 veículo/dia.
REVIT Fábrica de Balas de Coco com capacidade para 100 kg/dia.
Como montar Empresa Prestadora de Serviços de Guincho com capacidade para 20 guinchos.

 


 

 

 

 

Outros Projetos Prontos:

Planta Baixa de Fábrica de Caipirinha com capacidade de 5.000 litros por dia.

Como Montar Fábrica de Caipirinha com capacidade de 5.000 litros por dia.

Projeto e Layout de Fábrica de Caipirinha

DWG Fábrica de Caipirinha


Passo a Passo para abrir Fábrica de Caipirinha :

1- CNPJ da empresa Fábrica de Caipirinha obtido na Receita Federal

2- Contrato Social da empresa Fábrica de Caipirinha que pode ser preparado em um Escritório de Contabilidade

3- Inscrição Estadual da empresa Fábrica de Caipirinha obtido na Receita Estadual

4- Alvará de Funcionamento da empresa Fábrica de Caipirinha emitido pela Prefeitura Municipal

5- AVCB Atestado de Vistoria do Corpo de Bombeiros de Fábrica de Caipirinha

6- Alvará Sanitário de Fábrica de Caipirinha obtido em um destes órgãos: Vigilância Sanitária Municipal, Secretaria Estadual de Saúde, ANVISA, SIF Serviço de Inspeção Federal, Órgãos Estaduais (IMA, SISP, SIDASC, ADEPARA, ADAB, etc). Este documento é somente para empresas alimentícias ou da área da saúde

7- Licença Ambiental e Licença de Instalação de Fábrica de Caipirinha


Montar Fábrica de Caipirinha em Fortaleza dos Valos - RS (População estimada 4.619 habitantes)
Alvará Sanitário Fortaleza dos Valos
Alvará de Funcionamento Fortaleza dos Valos
AVCB Fortaleza dos Valos
SIM e VISA Fortaleza dos Valos (Vigilância Sanitária e Inspeção)

Como Projetar Um Refeitorio De Uma Empresa

Plano De Negócios Caipirinha

COMO MONTAR UMA FÁBRICA DE CAIPIRINHA


1 - Referências:
Decreto 6.871/2009, art. 68, § 5º, IN MAPA 35/2010, Resolução RDC 05/2013,
itens 16.1.1.1 e 16.1.1.2, Resolução RDC 45/2010 e Resolução RDC 02/2007.
2 - Definição:
A bebida alcoólica mista com graduação alcoólica de 15 a 36%, em v/v, a 20 ºC,
elaborada com cachaça, limão e açúcar, poderá ser denominada de Caipirinha
(bebida típica do Brasil), facultada a adição de água para a padronização da
graduação alcoólica e de aditivos (Decreto 6.871/2009, art. 68, § 5º).
3 - Denominação:
Caipirinha
Fonte: Decreto 6.871/2009, art. 68, § 5º.
Conforme o art. 7º da IN MAPA 35/2010, é vedada a utilização de recipientes e
embalagens tipo flaconetes, sachês, conta-gotas, spray, ampolas, copos-medidas
ou outros que caracterizem os produtos similares àqueles de uso farmacêutico,
medicamentoso ou terapêutico.
De acordo com o art. 9º, caput e incisos I e II, da IN MAPA 35/2010, no rótulo da
Caipirinha ficam proibidas as seguintes designações, ainda que associadas ao
nome empresarial ou à marca comercial:
I - branco, bianco, rosé, tinto, rosado, rosso, suave, seco, demi-sec, meio-doce
e outras designações específicas para o vinho e os derivados da uva e do
vinho;
II - artesanal, caseiro, familiar, natural ou cem por cento natural, reserva,
reserva especial, sidra, espumante, dentre outras; e
III - ... (não se aplica à Caipirinha).
4 - Parâmetros Analíticos:
Parâmetros Mínimo Máximo
Graduação alcoólica, expressa em %, em v/v, a 20 ºC ≥ 15 ≤ 36
Suco de limão, expresso em %, com 5% de acidez titulável
em ácido cítrico, em g/100 g 1 -
Açúcar, em sacarose, em g/L ≥ 10 ≤ 150
Coeficiente de congêneres, expresso em mg/100 mL de
álcool anidro 200 650
Edulcorantes Ausência
Contaminantes orgânicos Mínimo Máximo
Álcool metílico (metanol), em mg/100 mL de álcool anidro - 20,0
Carbamato de etila, em μg/L - 210
Acroleína (2-propenal), em mg/100 mL de álcool anidro - 5
Álcool sec-butílico (2-butanol), em mg/100 mL de álcool
anidro
- 10
Álcool n-butílico (1-butanol), em mg/100 mL de álcool anidro - 3
Contaminantes inorgânicos Mínimo Máximo
Cobre, em mg/L - 5
Chumbo, em μg/L - 200
Arsênio, em μg/L - 100
Cádmio, em mg/kg - 0,02
Estanho, em mg/kg, para bebidas enlatadas - 150
Fonte: Decreto 6.871/2009, art. 68, § 5º, IN MAPA 35/2010, arts. 8 e 17 a 21, IN MAPA 13/2005 e Resolução
RDC 42/2013.
5 - Composição:
Conforme o art. 68, § 5º, do Decreto 6.871/2009 e o art. 17, caput, da IN MAPA
35/2010, a bebida alcoólica mista com graduação alcoólica de 15 a 36%, em v/v,
a 20 ºC, elaborada com cachaça, limão e açúcar, poderá ser denominada de
Caipirinha (bebida típica do Brasil), facultada a adição de água para a
padronização da graduação alcoólica e de aditivos, elaborada por meio de
processo tecnológico adequado que assegure a sua apresentação e conservação
até o momento do consumo.
De acordo com o art. 5º, caput, incisos I e II e a alínea “a”, da IN MAPA 35/2010,
a água e o açúcar são ingredientes permitidos para a elaboração da Caipirinha,
sendo que:
I - a água é ingrediente opcional na elaboração da Caipirinha, e deverá ser
destinada, exclusivamente, à padronização da graduação alcoólica do produto
final;
II - ... (não se aplica à Caipirinha); e
a) - o açúcar permitido na produção da Caipirinha é a sacarose, que poderá
ser substituída total ou parcialmente por açúcar invertido e glicose, em
quantidade ≥ 10 e ≤ 150 g/L (IN MAPA 35/2010 art. 18).
Conforme o art. 17, § 1º, da IN MAPA 35/2010, a Caipirinha deverá apresentar a
cor, o sabor e o aroma dos elementos naturais contidos na matéria-prima utilizada.
De acordo com o art. 19 da IN MAPA 35/2010, o limão utilizado poderá ser
adicionado na forma desidratada e deverá estar presente na proporção mínima
de 1% de suco de limão com, no mínimo, 5% de acidez titulável em ácido cítrico,
expressa em g/100 g.
Conforme o art. 20 da IN MAPA 35/2010, o coeficiente de congêneres da
Caipirinha não poderá exceder ao valor estabelecido para o mesmo parâmetro na
cachaça utilizada na elaboração da Caipirinha, e será expresso em mg/100 mL de
álcool anidro.
6 - Aditivos:
De acordo com o art. 17, § 2º, da IN MAPA 35/2010, no caso de utilização de
aromas na Caipirinha é permitida a utilização de aroma natural de limão e de
aroma sintético idêntico ao natural de limão.
Os aditivos permitidos para a Caipirinha são os constantes na Resolução RDC
05/2013, mencionados abaixo.
ATENÇÃO!!!
Verificar a graduação alcoólica do produto final, pois há duas tabelas distintas para
esta bebida: uma para aquelas com graduação alcoólica > 0,5 e ≤ 15%, em v/v de
álcool etílico, e a outra para aquelas com graduação alcoólica > 15%, em v/v de
álcool etílico.
INS Função/Aditivo Limite Máximo (g/100 g ou g/100 mL)
16.1.1.1 Bebida Alcoólica por Mistura (exceto bebida alcoólica composta, mistela, mistela
composta, sangria e cooler com vinho) com graduação alcoólica maior que 15% v/v
ACIDULANTE/REGULADOR DE ACIDEZ
Todos os autorizados como BPF (utilizados de acordo
com as boas práticas de Fabricação) no MERCOSUL quantum satis
334 Ácido tartárico (L(+)-) 0,3
338 Ácido fosfórico, ácido orto-fosfórico 0,044 (como P)
ANTIOXIDANTE
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
AROMATIZANTE
Permitidos para a Caipirinha apenas a utilização de
aroma natural de limão e de aroma sintético idêntico
ao natural de limão.
quantum satis
CONSERVADOR
Somente para bebidas com graduação alcoólica até 17% v/v que contenha suco e ou polpa de
fruta
202 Sorbato de potássio 0,02 (como ácido sórbico)
220 Dióxido de enxofre, anidrido sulfuroso
0,02 (como SO2 total) ¹, sozinhos ou
em combinação
221 Sulfito de sódio
222 Bissulfito de sódio, sulfito ácido de
sódio
223 Metabissulfito de sódio
224 Metabissulfito de potássio
EMULSIFICANTE
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
405 Alginato de propileno glicol 1,0 (Somente para licores
emulsionados)
452i
Polifosfato de sódio, metafosfato de
sódio insolével, hexametafosfato de
sódio, sal de Graham, tetrapolifosfato
de sódio
0,044 (Como P)
481i Estearoil lactato de sódio, estearil
lactilato de sódio
0,8 (somente para licores
emulsionados)
ESPESSANTE
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
ESPUMANTE
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
ESTABILIZANTE
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
405 Alginato de propileno glicol 1,0 (Somente para licores
emulsionados)
481i Estearoil lactato de sódio, estearoil
lactilato de sódio
0,8 (somente para licores
emulsionados)
REGULADOR DE ACIDEZ
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
336i Tartarato monopotássico, tartarato
ácido de potássio 0,3 (como ácido tartárico), sozinhos ou
em combinação
336ii Tartarato dipotássico, tartarato de
potássio
339i
Fosfato de sódio monobásico,
monofosfato monossódico, fosfato
ácido de sódio, bifosfato de sódio,
dihidrogênio fosfato de sódio,
dihidrogênio ortofosfato monossódico,
dihidrogênio monofofato monossódico
0,044 (como P), sozinhos ou em
combinação
339ii
Fosfato de dissódico, fosfato de sódio
dibásico, fosfato ácido dissódico,
fosfatro de sódio, secundário,
hidrogênio fosfato dissódico, hidrogênio
ortofosfato dissódico, hidrogênio
monofosfato dissódico
339iii
Fosfato trissódico, monofosfato
trissódico, ortofosfato trissódico, fosfato
de sódio tribásico, fosfato de sódio
SEQUESTRANTE
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
335i Tartarato monossódico 0,3 (como ácido tartárico), sozinhos ou
335ii Tartarato dissódico em combinação
385
EDTA cálcio dissódico
etilenodiaminotetraacetato de cálcio e
dissódico 0,0025 (como EDTA cálcio dissódico
anidro) Sozinhos ou em combinação
386 EDTA dissódico,
etilenodiaminotetraacetato dissódico
Para o preparado líquido ou sólido para bebida alcoólica por mistura são admitidas as mesmas
funções estabelecidas para as bebidas alcoólicas por mistura prontas para consumo, e os
aditivos para cada função em quantidades tais que o produto pronto para o consumo contenha
no máximo os respectivos limites fixados.
Para o preparado sólido são permitidos ainda os seguintes antiumectantes:
341 iii
Fosfato tricálcico, fosfato tribásico de
cálcio, fosfato de cálcio tribásico,
fosfato de cálcio precipitado, fosfato de
cálcio
0,03 (expresso como P)
551 Dióxido de silício, sílica quantum satis
Fonte: Resolução RDC 05/2013, item 16.1.1.1.
OBS1.: Resolução RDC 45/2010, que dispõe sobre aditivos alimentares autorizados para uso segundo as
Boas Práticas de Fabricação (BPF).
OBS2.: Resolução RDC 02/2007, que dispõe sobre aditivos alimentares aromatizantes autorizados para uso
no MERCOSUL.
INS Função/Aditivo Limite Máximo (g/100 g ou g/100 mL)
16.1.1.2 Bebida Alcoólica por Mistura (exceto bebida alcoólica composta, mistela, mistela
composta, sangria e cooler com vinho) com graduação alcoólica até 15% v/v
ACIDULANTE/ REGULADOR DE ACIDEZ
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
334 Ácido tartárico (L(+)-) 0,3
338 Ácido fosfórico, ácido orto-fosfórico 1,2 (como P)
ANTIESPUMANTE
900a Dimetilsilicone, dimetilpolisioloxano,
polidimetilsiloxano 0,001
ANTIOXIDANTE
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
AROMATIZANTE
Permitido para a Caipirinha apenas a utilização de
aroma natural de limão e de aroma sintético idêntico
ao natural de limão.
quantum satis
CONSERVADOR
200 Ácido sórbico
0,05 (como ácido sórbico), sozinhos ou
em combinação
201 Sorbato de sódio
202 Sorbato de potássio
203 Sorbato cálcio
210 Ácido benzóico
0,05 (como ácido benzóico), sozinhos
ou em combinação
211 Benzoato de sódio
212 Benzoato de potássio
213 Benzoato de cálcio
220 Dióxido de enxofre, anidrido sulfuroso
0,02 (como SO2 total)1,sozinhos ou em
combinação
221 Sulfito de sódio
222 Bissulfito de sódio, sulfito ácido de sódio
223 Metabissulfito de sódio
224 Metabissulfito de potássio
EMULSIFICANTE
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
452i
Polifosfato de sódio, metafosfato de sódio
insolével, hexametafosfato de sódio, sal
de Graham, tetrapolifosfato de sódio
1,2 (como P)
481i Estearoil lactato de sódio, estearil lactilato
de sódio 0,8
ESPESSANTE
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
ESPUMANTE
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
ESTABILIZANTE
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
REGULADOR DE ACIDEZ
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
336i Tartarato monopotássico, tartarato ácido
de potássio 0,3 (Como ácido tartárico), sozinhos ou
em combinação
336ii Tartarato dipotássico, tartarato de
potássio
339i
Fosfato de sódio monobásico,
monofosfato monossódico, fosfato ácido
de sódio, bifosfato de sódio, dihidrogênio
fosfato de sódio, dihidrogênio ortofosfato
monossódico, dihidrogênio monofofato
monossódico
1,2 (como P), sozinhos ou em
combinação
339ii
Fosfato de dissódico, fosfato de sódio
dibásico, fosfato ácido dissódico, fosfatro
de sódio, secundário, hidrogênio fosfato
dissódico, hidrogênio ortofosfato
dissódico, hidrogênio monofosfato
dissódico
339iii
Fosfato trissódico, monofosfato trissódico,
ortofosfato trissódico, fosfato de sódio
tribásico, fosfato de sódio
SEQUESTRANTE
Todos os autorizados como BPF no MERCOSUL quantum satis
335i Tartarato monossódico 0,3 (Como ácido tartárico), sozinhos ou
335ii Tartarato dissódico em combinação
385
EDTA cálcio dissódico
etilenodiaminotetraacetato de cálcio e
dissódico
0,0025 (como EDTA cálcio dissódico
anidro), sozinhos ou em Combinação
386 EDTA dissódico,
etilenodiaminotetraacetato dissódico
Para o preparado líquido ou sólido para bebida alcoólica por mistura são admitidas as mesmas
funções estabelecidas para as bebidas alcoólicas por mistura prontas para consumo, e os
aditivos para cada função em quantidades tais que o produto pronto para o consumo contenha
no máximo os respectivos limites fixados.
Para o preparado sólido são permitidos ainda os seguintes antiumectantes:
341 iii
Fosfato tricálcico, fosfato tribásico de
cálcio, fosfato de cálcio tribásico, fosfato
de cálcio precipitado, fosfato de cálcio
0,03 (como P)
551 Dióxido de silício, sílica quantum satis
Fonte: Resolução RDC 05/2013, item 16.1.1.2.
OBS1.: Resolução RDC 45/2010, que dispõe sobre aditivos alimentares autorizados para uso segundo as
Boas Práticas de Fabricação (BPF).
OBS2.: Resolução RDC 02/2007, que dispõe sobre aditivos alimentares aromatizantes autorizados para uso
no MERCOSUL.

Legalizar Fábrica de Caipirinha

Contatos:

Caso tenha alguma dúvida, entre em contato pelos telefones:

Brasil 35.3721.1488 Outros Países +55.35.3721.1488
Ou pelo WhatsApp:
+55.31.99609.1982